Tag: Tokyo Stories

Música de abertura de Midnight Diner: Tokyo Stories | Letra com tradução

Depois de publicar este post sobre a série Midnight Diner: Tokyo Stories, da Netflix, recebi muitas mensagens de leitores pedindo mais informações sobre a trilha sonora e, principalmente, sobre a linda canção de abertura.

Acatei a sugestão do Omar Matsumoto e da Monica Ohnstein e aqui vai a minha versão traduzida da música! Digo que esta é a minha versão pois o significado de muitas coisas pode mudar quando traduzimos algo do japonês para o português (assim como acontece nas traduções em geral). Às vezes são coisas pequenas e aparentemente insignificantes, mas que causam um impacto diferente quando lemos e fazemos uma interpretação. Na língua japonesa, por exemplo, não existem artigos ou flexão de número do substantivo (singular/plural). Então, se aqui na tradução aparecem “nuvens brancas”, outras pessoas poderiam entender como “a nuvem branca” ou “as nuvens brancas”. Sem contar, claro, o caso das palavras que não têm tradução direta para a nossa língua.

Mas, sem mais delongas, aqui vai! Apertem o play e acompanhem a poesia sonora 😉

Artista: Tsunekichi Suzuki

Canção: 思い出 / Omoide / Lembrança

君が吐いた白い息が
今ゆっくり風に乗って
空に浮かぶ雲の中に
少しずつ消えてゆく

遠く高い空の中で
手を伸ばす白い雲
君が吐いた息を吸って
ぽっかりと浮かんでる

ずっと昔のことのようだね
川面の上を雲が流れる

照り返す日差しを避けて
軒下に眠る犬
思い出もあの 空の中に
少しづつ消えてゆく

この空の向こう側には
もうひとつの青い空
誰もいない空の中に
ぽっかりと浮かぶ雲

Kimi ga haita shiroi iki ga
Ima yukkuri kaze ni notte
Sora ni ukabu kumo no naka ni
Sukoshi zutsu kiete yuku

Tōku takai sora no naka de
Te wo nobasu shiroi kumo
Kimi ga haita iki wo sutte
Pokkari to ukan deru

Zutto mukashi no koto no yoda ne
Kawamo no ue wo kumoga nagareru

Terikaesu hizashi wo sakete
Nokishita ni nemuru inu
Omoide mo ano sora no naka ni
Sukoshi zutsu kiete yuku

Kono sora no muko gawa no wa
Mou hitotsu no aoi sora
Dare mo inai sora no naka ni
Pokkari to ukabu kumo

*********** Tradução ***********

O suspiro branco que você exalou
Agora pega carona no vento lentamente
Para as nuvens que flutuam no céu
Pouco a pouco vai se apagando

Do alto e do meio do céu
Nuvens brancas se esticam
Para inalar o teu suspiro
E continuam a flutuar

Parece uma coisa de um passado distante
Nuvens passam por cima do rio

Evitando o reflexo do sol
O cão dorme embaixo do beiral
As lembranças também, no meio daquele céu
Pouco a pouco vão se apagando

Do outro lado deste céu
Tem mais um céu azul
Dentro do céu que não tem ninguém
As nuvens flutuam

<3

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias 😉
Compartilhe:

Curiosidades sobre a série “Midnight Diner: Tokyo Stories”

Midnight Diner: Tokyo Stories estreou na Netflix no final de outubro, mas tomei meu tempo para degustar essa série lentamente, como faço com um bowl de lamen ou um prato de karê. Cada episódio de 20 e poucos minutos faz a gente mergulhar no Japão, a começar, claro, pela comida. Assistir a um episódio de estômago vazio é uma tortura!

Aqui no blog já falei sobre o sentimento de natsukashii e também da relação afetiva que os japoneses têm com comida. O enredo básico de cada episódio de Midnight Diner segue por aí. Pratos do dia-a-dia, que encontramos facilmente nos pequenos restaurantes e izakayas, conduzem histórias sobre amor, família, amizade, arrependimento, trabalho, perdas… Drama, melancolia e humor em doses equilibradas, trazendo ao final de cada capítulo uma sensação de leveza e conforto para a alma. Soul food.

A ação principal se passa no pequeno restaurante do Master, personagem central da série que acolhe seus clientes e prepara as delícias solicitadas por cada um. Um refúgio no meio de Shinjuku, em uma ruela que poderia fazer parte da Omoide Yokochō.

Para quem ainda não parou para ver a série, que teve sua estreia ofuscada pela última temporada de Black Mirror, aqui vai o trailer.

E aqui vão algumas curiosidades. Pode ler até o fim que garanto que não tem spoilers!

A série é baseada num mangá de sucesso

Apesar de ser apresentada como uma produção original da Netflix, a série é baseada em uma série de tv japonesa de mesmo nome, Shinya Shokudô, que por sua vez é baseada num mangá de Yaro Abe, lançado em 2006 e que vendeu mais de 5 milhões de exemplares. A série japonesa teve 3 temporadas (2009, 2011 e 2014) e deu origem a dois filmes, lançados em 2015 e 2016. Boa parte dos atores que vemos na série da Netflix são os mesmos da série japonesa – e, por consequência, dos filmes.

Food stylist: profissional imprescindível no set

Se as produções para tv e cinema contam com profissionais para o cenário, figurino, maquiagem, iluminação, trilha sonora, etc, uma produção sobre comida tem que contar com um profissional da área! A food stylist Nami Iijima trabalha meticulosamente na apresentação dos pratos, de dar água na boca de quem assiste. Para tornar ainda mais real a experiência dos atores na hora da tão esperada degustação, ela faz questão de servir quentes os pratos que devem ser servidos quentes e frios, os pratos que devem ser saboreados frios.

O real significado da expressão “itadakimasu”

A série mostra um hábito seguido à risca no Japão: antes de começar a refeição, os personagens falam itadakimasu. Como as expressões japonesas têm um significado bastante complexo para serem traduzidas em poucas palavras, o jeito é apelar para expressões já conhecidas do público. Não somente em Midnight Diner como também em filmes ou livros, o itadakimasu acaba se tornando um “bom apetite” ou “obrigado”, “obrigado pela refeição”. Em alguns momentos da série, especialmente quando o personagem está sozinho, chega a ser traduzida em inglês como “let’s eat” (“vamos comer”).

Itadakimasu é uma forma em kenjōgo do verbo receber (もらう – morau), o que quer dizer que se trata de um modo humilde de se expressar. Seria algo próximo de “eu recebo humildemente”. Mas o sentido dessa expressão é de agradecer e valorizar todas as pessoas e elementos que tornaram possíveis aquela refeição, não somente quem cozinhou, mas também quem esteve envolvido na produção dos vegetais, por exemplo, assim como a natureza por ter fornecido os ingredientes utilizados.

Por isso, é uma expressão usada mesmo quando se está sozinho e não deve ser dirigida a outras pessoas na mesa, do jeito que fazemos com o nosso “bom apetite” 😉

Que trilha é essa, pelamor?

Além da comida, outra coisa que chama atenção é o cuidado com a seleção das músicas da trilha. A canção da abertura já virou um clássico pra mim! Aqui vai uma playlist compilada por uma boa alma:

Me pergunto se a Netflix prepara uma próxima temporada. Pela boa repercussão, acredito que sim. Mas será que vão mudar de cidade e fazer um “Osaka Stories”? Ou vão levar esse mesmo formato para outro país? Será que seguirão firme e forte em Tóquio, com o Master e todos os personagens que a gente já adora? Eu não tenho a resposta ainda, mas estou curiosa para saber os rumos da série.

A primeira temporada de Midnight Diner está disponível na Netflix e também é exibida no canal ARTE1, às quintas-feiras, 21h30, com o co-patrocínio da Fundação Japão – obrigada pela informação, Leonardo!

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias 😉
Compartilhe: