Yokocho: conheça o universo de becos repletos de bares e restaurantes em Tóquio

Omoide Yokocho, também conhecida como Yakitori Alley em Shinjuku (Foto: Jonathan Lin / Creative Commons License)

Já estava lá pelo meu terceiro mês em Tóquio quando fui levada para conhecer o Omoide Yokocho, também conhecido como Yakitori Alley. Foi amor à primeira vista. Fiquei maravilhada ao ver aquele amontoado de izakayas e restaurantes, todos minúsculos, num aperto charmoso de becos e ruas bem próximos à estação de Shinjuku – a maior estação de trens da metrópole e a mais movimentada do mundo.

Para a minha alegria, descobri que Tóquio esconde inúmeros yokocho, que numa tradução literal seria “rua do lado”, “rua lateral”. Na prática, são um conjunto de ruazinhas ou becos tortuosos, geralmente bem próximos às estações de trem, com instalações que datam do pós-guerra. Em tempos de escassez, em muitos deles rolava um comércio ilegal de alimentos. Hoje em dia, por preservarem essa alma das décadas de 40 e 50 numa cidade tomada pela modernidade e tecnologia, essas ruelas acabaram se tornando atrações turísticas – mas que também ficam apinhadas de locais que querem apenas beliscar um espetinho de frango e tomar uma cerveja.

No geral, a comida é aquela de izakaya, o boteco típico japonês: são pratinhos diversos feitos para beliscar entre amigos. Mas também podemos encontrar lámen, udon, sashimi, karê, entre muitas outras especialidades. Se estiver só, não se preocupe! Alguns botecos são tão pequenos e apertados que uma esbarrada de cotovelo será a desculpa perfeita para fazer amizade com quem se sentar do seu lado no balcão.

Aqui vai um guia de yokocho que andei caçando em Tóquio! Clicando no nome, você verá a localização no mapa.

Ebisu Yokocho, em Ebisu

Um dos izakayas do yokocho de Ebisu: reparem na bandeirinha do Brasil no fundo 🙂

O yokocho de Ebisu quebra um pouco o estilo mais ocidentalizado desse bairro de Tóquio, cheio de lojas e restaurantes bacanas. Numa estrutura fechada e bem apertadinha, multidões se aglomeram entre os pequenos izakayas. Dependendo do dia e da hora, fica até difícil de achar uma mesa livre. Mas mesmo assim vale um passeio para sentir o clima!

Yurakucho Sanchoku Inshokugai, em Yurakucho

Carlos Kato e Denise Makimoto me fizeram redescobrir o yokocho de Yurakucho <3

Talvez este seja um dos yokocho mais bacanas de Tóquio! Fiquei encantada quando um amigo me levou lá, depois de um concerto no Tokyo International Forum. Mas já era de noite e eu não soube mais encontrar aquele lugar… Ainda bem que o Carlos e a Denise, casal querido que assina a coluna Tabeteimasu, sabiam que eu era uma caçadora de yokocho e me fizeram redescobrir essas ruelas escondidas embaixo dos trilhos do trem, cheias de luzinhas e charme. A Sanchoku Inshokugai fica a um pulo de Ginza.

Entrada para o yokocho de Yurakucho: se bobear, passamos batido!

Harmonica Yokocho, em Kichijoji

Harmonica Yokocho: além de izakayas, tem mercado de alimentos frescos e lojas de roupas

Em frente à estação de Kichijoji (saída norte), a Harmonica Yokocho conta com uma estrutura maior e relativamente mais organizada que os demais becos. Além de izakayas e restaurantes, encontramos lojinhas de roupas, de utensílios diversos e de alimentos frescos, fazendo dessa atração um lugar bacana para ir também durante o dia.

Sankaku Chitai, em Sangenjaya

Durante o dia, ninguém dá nada… mas à noite vira um fervinho entre os locais

Sangenjaya é um canto de Tóquio um pouco menosprezado nos guias de turismo em geral. Até por isso, conserva um clima de bairro, com um charme local. O Sankaku Chitai Yokocho ganha vida ao anoitecer, pois concentra muitas opções de bares de izakayas. Lembra bastante a Golden Gai, em Shinjuku, mas com bem menos turistas.

Ok Yokocho, em Akabane

OK Yokocho: charme de fim de tarde, que pode se estender noite adentro

Foi minha querida amiga suíça Amanda que me levou para conhecer esse yokocho, que fica em Akabane – mais um bairro nada turístico. Chegamos no fim da tarde, sentamos em mesas improvisadas, tomamos umas cervejas e ficamos papeando tranquilamente.

Nonbei Yokocho, em Shibuya

Espiada num izakaya minúsculo do yokocho de Shibuya (Foto: Andrea Belvedere / Creative Commons License)

Yokocho que traz um clima da era Showa, nesse bairro tomado pelos jovens. Lanternas decorativas sinalizam a entrada do beco, cheio de opções de beliscos e drinques.

Golden Gai, em Shinjuku

Se perder pelos becos da Golden Gai é um programa que recomendo em Shinjuku (Foto: Leng Cheng / Creative Commons License)

Outra preciosidade antiga no coração de Shinjuku. Aqui, a maioria dos bares oferece apenas bebidas, mas tem um ou outro restaurante especializado. Cada barzico tem um estilo diferente e, no geral, acomodam pouquíssimos clientes. Algumas casas dão preferência aos clientes habitués, mas outras acolhem os turistas com alegria.

Omoide Yokocho, em Shinjuku

E, finalmente, o meu primeiro yokocho! Colado na saída oeste da estação de Shinjuku ficam as entradas para o yokocho mais famoso da cidade. São muitas opções de botecos que servem espetinhos grelhados e outros pratos. Alguns restaurantes têm mesinhas no andar de cima, caso você esteja na companhia de duas ou mais pessoas. Só não aconselho ir em grandes grupos, pois é difícil de achar lugar para todos.

Quer ter uma ideia melhor de como são os yokocho de Shinjuku? Então aperta o play e assiste esse vídeo que fiz para o canal Sem Fio, há 4 anos!

 

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias 😉
Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *