Tadao Ando e a arquitetura que emociona

Réplica da Church of Light, construída especialmente para a exposição (Foto: Piti Koshimura)

Exposição em Tóquio sobre a vida e obra do arquiteto japonês nos faz refletir sobre o impacto que arquitetura exerce na vida das pessoas

“Como a arquitetura pode ser tão emocionante?”. Tomo a liberdade de usar esse comentário que a estilista (e leitora fiel do blog <3) Isabel Mascaro me mandou ao ver os posts que fiz sobre a casa cedro de Yoshino, um projeto maravilhoso sobre o qual já escrevi aqui, para falar de um assunto igualmente emocionante: a obra de Tadao Ando.

Até o dia 18 de dezembro, o National Art Center, espaço lindo de exposições que fica em Roppongi, exibe a mostra Tadao Ando: Endeavors. Mais do que uma retrospectiva da carreira de Ando, o evento faz uma bela homenagem a um dos maiores arquitetos japoneses.

Uma das características de seu trabalho que mais admiro é como ele transforma o concreto, sua marca registrada, em espaços harmônicos com a natureza e o entorno. Depois de passar pelas mãos do arquiteto, o material, tão frequentemente associado à frieza e brutalidade, ganha luz e vida. Exemplo disso é a Church of Light, igreja que ele projetou em Osaka e que ganhou uma réplica para que os visitantes da exposição de Tóquio pudessem ter um gostinho do que é estar em uma de suas obras.

Outro destaque da mostra é a vídeo-instalação dedicada a Naoshima, ilha que faz parte do circuito de artes japonês no mar interior de Seto. Ando é a grande estrela da ilha, que abriga sete obras suas, entre hotéis, museus e um “hotel-museu”. Se for para escolher um deles, fico FÁCIL com o Chichu Art Museum, uma das construções mais espetaculares onde já estive na vida (falar do Tadao tem dessas, temos que recorrer ao elogios mais grandiosos que a língua comporta)!

 

Vídeo-instalação sobre os projetos de Ando em Naoshima: de chorar! (Foto: Piti Koshimura)

Ver o vídeo emociona quem já foi para a ilha e faz todo mundo que ainda não esteve lá querer pegar a próxima balsa para cruzar o mar de Seto. A música que acompanha as imagens é um espetáculo à parte. Fiquei fascinada pela canção e tive uma surpresa boa combinada com aquela sensação de “eu já sabia” quando vi quem eram os autores da trilha: Mouse on the Keys. O trio de Tóquio faz um som nu-jazz-post-rock instrumental (entendam o que quiserem disso rs) e já tive a sorte de vê-los ao vivo no (sempre) maravilhoso SESC Pompeia, em 2014.

Aí vai um pequeno teaser do som que rola na expo:

Mas o que me pegou de verdade foram os depoimentos das pessoas que moram em casas projetadas por Tadao Ando. Tem, por exemplo, o caso de um cliente belga que contratou o arquiteto porque queria dar de presente para a esposa uma casa nova no Sri Lanka, que tivesse um atelier onde ela pudesse trabalhar (<3). E completou dizendo que queria que fosse um lugar onde seus filhos e netos tivessem vontade de passar as férias, para poder passar mais tempo com a sua família (<3 <3).

Alguns clientes dão a entender que morar numa obra de Ando torna-se um grande teste de resiliência. Tem o sobe-e-desce diário pelos 4 andares da casa, o frio polar durante o inverno ou ainda as tormentas intensas que se chocam contra as paredes de vidro durante a temporada de tufões. E nem adianta jogar a culpa no arquiteto: ele mesmo alerta de antemão que vai ser duro viver naquele espaço. Sua prioridade, antes de criar um casulo protetor para os clientes, é de criar projetos que dialoguem com o entorno e que fiquem em harmonia com a natureza. O morador da Row House diz que foi sofrido se acostumar a morar lá. Mas que nunca ficou entediado.

Essas entrevistas e depoimentos do próprio Tadao Ando me fizeram passar por momentos de incredulidade, de surpresa, de estupefação, de admiração, de encantamento e também de olhos levemente marejados quando, ao ver a foto da sacada da tal da casa do Sri Lanka, pensei “que vista maravilhosa”. Imediatamente pensei no meu namorado, que sempre reforça o quão importante é ter uma vista bonita mesmo quando estamos numa pousada onde vamos passar uma única noite.

Quem sabe no futuro eu contrate o Tadao Ando para fazer a nossa casa e dê uma vista dessas de presente para ele. 😉 

Exposição “Tadao Ando: Endeavors”
Onde: National Art Center, Roppongi
Quando: até 18 de dezembro (fecha às terças)
Quanto: 1500 ienes
Obs: prepare-se para filas e multidões, principalmente nos fins-de-semana

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias 😉

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *