Peach no Brasil

皆さん、お久しぶりですね!

Gente, voltei!

Faz um pouco mais de uma semana que cheguei em São Paulo – e mais de um mês que este blog não é atualizado. Muita coisa aconteceu nas minhas últimas semanas lá no Japão: tive muitos encontros de despedida, um amigo querido foi passar um tempo lá, conheci amigos de amigos brasileiros que foram visitar Tóquio, gravei o último vídeo pro Sem Fio, tive provas finais na escola… E a Copa começou a rolar no Brasil.

Por causa do fuso horário ficou bem difícil de acompanhar (e não, jamais acordaria às 5 da manhã pra ver um jogo), mas estava animadíssima para ver o jogo de estreia do Japão contra a Costa do Marfim. Mesmo desde antes de passar essa temporada no Japão, uma parte de mim sempre torceu por eles, às vezes até mais que pela seleção brasileira.

Nada mais legal, então, do que assistir ao jogo com meus amigos japoneses Mizuaki e Kinya, que, aliás, adoram o Brasil. Só teria sido mais legal ainda se o Drogba não tivesse entrado em campo e o Japão não tivesse perdido :-/.

Nesse dia da partida, no meu último domingo passado no Japão, uma coisa engraçada aconteceu. Enquanto eu esperava por eles em frente à estação de Kichijoji, uma japonesa me abordou perguntando por direções e eu fui capaz de ajudá-la. Eu tinha virado uma local. 🙂

Mas levou um tempo até eu considerar o Japão meu lar. Passado o deslumbre dos meses iniciais, quando constatei que os serviços eram impecáveis, que o transporte público era incrível, que os produtos eram super bem pensados e que os japoneses eram muito solícitos e gentis, entrei numa fase de questionamento e hesitação. “Ei, pera lá, o Japão não é tudo isso”, comecei a pensar. Foi quando percebi certos aspectos da sociedade e da mentalidade japonesa que me incomodaram um pouco, mas que, ainda assim, não me fizeram deixar de aproveitar a minha estadia lá.

Só depois que eu voltei de uma viagem de mais de duas semanas pela Tailândia, na época do ano novo, é que me re-apaixonei pelo Japão, principalmente depois desse episódio – tão banal ao olhar dos japoneses.

Muitos comentaristas criticaram o desempenho da seleção japonesa na Copa, falando que eles não têm a malícia que o futebol requer. Sinceramente, eu espero que eles nunca tenham essa tão cultuada malícia. Porque o dia em que eles começarem a se jogar no chão para cravar um pênalti ou que eles usarem o braço pra matar a bola no peito vai ser o fim de tudo o que me fez amar o país.

Volto pro Brasil, com a certeza de que tenho o Japão como meu segundo lar. <3

ps: Não é o fim do blog!

ps2: Tem mais um vídeo do Sem Fio, logo mais!

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias 😉
Compartilhe:

Comentários

comments

Filed under Devaneios

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias ;)

8 Comments

  1. Welcome back e mantenha o blog vivo!

    Tem um detalhe que vc não citou, Piti: enquanto uma torcida recolhe o lixo ao final da partida, outra quebra os assentos da arquibancada.

    • Bem lembrado, Pitcho! O pior é todo mundo se espantar com isso, de recolher o lixo. Nada mais que o dever de cada um. Temos muito o que aprender com eles, mesmo.
      Valeu por acompanhar sempre o blog! beijos!

  2. Que pena que a viagem acabou 🙁

    Sobre algumas coisas terem te incomodado, isso é normal pois no início as coisas boas ficam mais em evidência e só com o passar do tempo que vamos percebendo a assimilando os fatos e situações que nos incomodam em um lugar novo.

    Não existe lugar perfeito e o Japão não é exceção. Mas as características boas superam em muito as que temos aqui no Brasil. Pelo menos na minha opinião. E esse julgamento varia de acordo com os valores de cada um. Já ouvi muito brasileiro que mora no Japão reclamar de muita coisa lá e entre elas, com maior frequência aparece o quesito “liberdade”. A liberdade que esse pessoal reclama é aquela onde eles podem dar festa e fazer barulho durante a madrugada, botar o som alto no carro e incomodar os vizinhos, fazer o que bem entender sem se preocupar se está incomodando os outros, etc. Eu pelo menos trocaria toda essa “liberdade” pela segurança que encontrei no Japão.

    Espero que o blog não acabe e que continue mostrando um pouco do tempo que passou por lá. Assim mato a saudade do JP 😉

    Abs

    • Carlos, obrigada pelo comentário! Com certeza, qualquer país tem seus prós e contras e, concordo com vc, o Japão tem muitos mais prós. A segurança que se tem lá é realmente fora da realidade para nós aqui. E acho que desfrutar dessa segurança faz com que a gente tenha um outro tipo de liberdade. Não a de colocar som alto no carro (ufa, ainda bem rsrs) mas de poder andar na rua com o celular e laptop sem preocupações, de sacar dinheiro no caixa eletrônico sem medo, de poder confiar nos transportes públicos…
      Obrigada por acompanhar o blog e, agora que estou em SP, vou sempre dar uma fuçadinha no Tabeteimasu para pegar umas dicas 🙂
      Abraços!

  3. Jose Veleda

    Bom ter notícias novas de Piti! Triste por ser o último vídeo para o Sem Fio mas espero estar sempre por aqui curtindo bastante o blog.
    Priscila tu és abençoada por Deus em te sentir um pouco Brasil e Japão, de um lado o jeitinho brasileiro de saber driblar a vida e todas as dificuldades que ela nos propociona e por outro a bravura de uma ivejável guerreira japonesa com uma cultura educação e sabedoria que serve de exemplo para o mundo. Orgulho me muito por ti Piti.

    Um abraço

    • Poxa, José, nem sei como agradecer as mensagens tão carinhosas! Muito obrigada mesmo! Posso falar que esse ano passado lá foi realmente uma experiência incrível. E fico feliz que está sempre aqui, acompanhando o blog e os vídeos do Sem Fio!
      Um abraço!

  4. Oi Priscila, tudo bem? Aqui é o Daniel, talvez vc se lembre, comentei aqui há dois meses (http://peachnojapao.wordpress.com/sobre/) que estava vindo para o Japão. Estive em Tóquio essa semana e até pensei que pudesse te encontrar, qdo vi seu post que vc estava de volta ao Brasil. Realmente estou curtindo muito aqui o que vc definiu como serviços impecáveis, transporte público incrível, produtos super bem pensados e japoneses muito solícitos e gentis. É minha quarta vez no Japão e não me canso de me surpreender. Sobre os aspectos da sociedade e da mentalidade japonesa que te incomodaram, já conversei com alguns brasileiros que moram por aqui sobre isso e percebi opiniões bem diferentes. Tenho curiosidade de saber o seu ponto de vista sobre isso, pois seus textos traduzem bem meus pensamentos sobre o Japão e acredito que provavelmente os aspectos que te incomodam seriam os mesmos que me incomodariam se eu tivesse tempo para percebê-los (nunca fiquei mais de um mês no Japão, sempre de férias).

    • Olá, Daniel! Tudo bem?
      Desculpa a demora pra te responder.
      Sim, claro que todo lugar tem aspectos negativos e no Japão não é diferente. Uma das coisas que me incomodaram lá foi o preconceito em geral, contra mulheres, contra estrangeiros. Mas claro que tem muitos japoneses de cabeça aberta e que isso não é a regra. A minha conclusão é que os benefícios de morar lá superam o lado negativo.
      Obrigada por acompanhar aqui o blog! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *